O que é felicidade?

Oi, minhas amoras mais lindas do mundo!

O cafezim de hoje ta aí! Como falam os paraenses, ” te senta” e vem ler!

Às vezes somos lançados a pensar que precisamos de muitas coisas para ficarmos bem. Sim, precisamos. Mas que coisas são essas? Qual o motivo para possuí-las? Não é nenhuma falácia ou falso moralismo dizer que precisamos de roupas e sapatos. Precisamos. Precisamos na verdade de muito mais do que isso. O que é fundamental é saber a razão que nos faz dedicar a tal coisa ou fato o sentido da nossa felicidade.

Tudo passa. Está aí um fato condicionado à todos. Tudo um dia vai acabar, seja o que for que você tenha e guarde à sete chaves, que quer muito ter pra sempre, que acha que não vive sem. Um dia você não o terá mais. Mas não se apresse em saber como vai ser, não crie alguma angústia para o que será feito e que ainda não está feito. O que está feito está feito, assim como tudo passa. Simples assim.

Esse é um ponto que pode servir de alívio, conforto, medo, angústia. A tristeza demora mais a passar pois temos a dificuldade de lidar com ela. Dói e é desconfortável.  A alegria consome nosso coração e de repente desejamos que o que aconteceu de bom transporte a energia da positividade para outros cenários, objetivos e momentos de nossa vida. Vai passar, então viva. Vai passar, então, descanse, se acalme.

A medida certa de riso, a medida certa de moderação. Quanta coisa para pensarmos? O que posso usar? Com quem não posso falar? Tantas, quantas, muitas, sempre somos pressionados a vestir uma camisa, uma bandeira, mesmo que essa seja acusar o outro, mesmo que seja dizer que o outro é hipócrita sendo hipócrita você também, que nem sabe ao certo o que está criticando. A vida é muito louca.

É aquela história que vejo próximo de casa de um grupo que distribuiu sopa aos moradores em situação de rua e muitos dizem que estão alimentando vagabundos, mas, ou nunca sentiram fome, ou não se importam com esta demanda latente para a política social no País, ou sentem raiva dessas pessoas que moram na rua (tem gente que tem raiva, medo e nojo), ou se esquecem que comer é uma condição humana. Vista a pele do outro e assim você será mais leve, menos juiz. Experimente, faz um bem danado pra alma ( pra saúde mental, se preferir assim).

Muitas vezes eu só quero comer um caranguejo e ficar de boa pensando na vida. É o que eu preciso pra ter um momento de felicidade. Então, releve pra rir um pouco do vestido rosa envelopado cheio de pregas. Reclame menos do seu problema (e que às vezes nem é um problemas seu, mas você está se matando para solucioná-lo) para ir tricotar com uma amiga sobre as novas modas que retornam com uma roupagem cool no século vinte e um – estou velha!

O seu problema pode caber num espaço muito pequeno da sua vida quando você der à ele o tratamento certo. Ele pode caber em alguns minutos do seu dia, se todos os outros minutos estiverem preenchidos com outras coisas que realmente dão sentido à sua vida.

A sua felicidade vai sentar e ficar se tu deixares ela se acomodar melhor quando der de cara com a negatividade dos teus pensamentos, umas palavras tão bobas e tolas que nos jogam pra baixo por algo ruim que acontece.

Modere, pense, faça, sinta, queria, beije, sorria, corra, beba e, principalmente, dentre todos esses verbos de ação, relaxe. Seja leve!

Beijo para minhas Amoras!

signature
laco